Novidades

Atualizações relevantes de todo o mundo.

Voltar

Um manual que será um norte para a indústria - Dolby ajuda o alcance global da NorDig DVB

Um manual que será um norte para a indústria - Dolby ajuda o alcance global da NorDig DVB

Embora o mundo da transmissão seja construído com base em especificações altamente técnicas, há outra categoria de informações que mantém tudo unido - as operações. Equipamentos e procedimentos devem ser configurados e executados no dia a dia, com todos os envolvidos falando a mesma língua e trabalhando com as mesmas regras. Fui chamado para ajudar a criar a seção AC-4 de um manual prático para um desses conjuntos de especificações. Isso foi como parte do suporte da Dolby para a indústria.

NorDig é o órgão de especificação responsável pelas ferramentas da DVB na região nórdica e na República da Irlanda, mas com influência global. As especificações abertas da NorDig são detalhadas e abrangentes, fornecendo toda a codificação, sistema de multiplexing e configurações do receptor necessárias para a transmissão linear. As emissoras e os fabricantes de dispositivos concordaram com as opções das ferramentas da DVB que melhor se adequam aos seus usos. Embora existam variações locais, cerca de 50% das emissoras, incluindo as da Austrália, França e Alemanha, baseiam seus sistemas nas especificações NorDig. E, para onde vão as emissoras, os fabricantes vão atrás.

O documento fundamental da NorDig é a especificação do dispositivo Receptor Decodificador Integrado (IRD), que especifica os requisitos técnicos mínimos e lista todos os padrões internacionais necessários para construir um receptor DVB de TV completo para os mercados horizontal e vertical. Possui todos os requisitos técnicos para som, imagem, texto e interfaces - como HDMI, SPDIF, Internet e outros - bem como sinalização, interatividade, distribuição e outros padrões. O Dolby AC-4 foi adicionado como o único formato de áudio de última geração em 2018. Como empresa, a Dolby trabalha em toda a cadeia de transmissão de conteúdo, da criação ao consumo, então, quando contribuímos para uma área altamente técnica e focada como este tipo de especificação, entendemos o contexto mais amplo e podemos ter certeza de que o que trazemos é tão útil quanto preciso.

Quando meus colegas do escritório da Dolby em Nuremberg estavam prestes a finalizar a parte AC-4 na especificação IRD, fui contratado como um especialista para ajudar na integração dos codecs na categoria de distribuição - como o áudio é empacotado e disponibilizado, na mais alta qualidade possível, para todos os receptores, independentemente de quantas especificações modernas eles sigam.

Depois que a especificação de IRD da NorDig e o Plano de Teste NorDig foram publicados, era hora da NorDig atualizar suas Regras de Operação (RoO). Este documento é o guia prático para colocar uma cadeia de transmissão em funcionamento e mantê-la em execução, escolhendo as melhores configurações padrão e determinando quais alterações tiveram efeitos para melhor compatibilidade com todos os dispositivos receptores implantados, minimizando o risco de possível interrupção e subsequentes reclamações do usuário. Meus colegas decidiram que eu era o homem certo para o trabalho, então me juntei ao grupo NorDig preparando o novo projeto.

Quando olhei pela primeira vez, no final do verão de 2019, as RoOs existentes da NorDig mostraram como a tecnologia estava se movendo rapidamente. A última atualização foi em 2016, mas grande parte dela era mais antiga do que isso. Em comparação com a versão inicial, os avanços foram adicionados aos poucos para tentar acompanhar as mudanças tecnológicas, mas era hora de uma revisão completa. A equipe de vários setores no grupo de RoO da NorDig fez uma grande inspeção, melhorando a consistência, alinhando a estrutura com a especificação do IRD da NorDig, adicionando as novas tecnologias.

Ao revisar minhas seções do RoO da NorDig na seção de áudio, concentrei-me em pensar como um operador e como eles precisariam usar o documento. Reorganizei-o para corresponder ao fluxo do sinal, removendo detalhes obsoletos enquanto padronizava a maneira como cada componente era descrito e, finalmente, adicionei o novo material sobre o AC-4 formatado para atender aos requisitos da nova especificação do IRD.

O processo demorou vários meses e, junto com os associados do grupo de redação que trabalharam no restante do documento, colocamos o que consideramos 80% do material essencial. A partir de uma verificação de consistência com dispositivos implantados e em desenvolvimento, recebi um excelente feedback de colegas na Alemanha, Polônia e Estados Unidos. O material sobre o AC-4 foi um desafio, pois quase não havia equipamento no mercado para consultar naquela época, então eu não poderia usar exemplos reais. Em vez disso, criei as instruções a partir das especificações técnicas.

O comitê técnico da NorDig esperava inicialmente aprovar uma versão intermediária na primavera de 2020, com uma atualização a seguir, mas em vez do processo de duas etapas, recebemos a tarefa de fundir a sinalização de áudio com as partes genéricas, produzindo uma versão completa que foi aprovada e publicada no final de 2020.

Foi uma experiência muito gratificante. O trabalho que meus colegas da indústria e eu fizemos para a NorDig correspondeu às necessidades práticas das emissoras, empresas de distribuição e transmissão e fabricantes de equipamentos. Eles agora têm um perfil comum no qual construir suas próprias UIs, procedimentos e documentos. Foi um prazer trabalhar com as pessoas do grupo de redação, que têm um bom domínio dos detalhes, das nuances e dos objetivos, apoiado por uma forte capacidade de colaboração.

É claro que o conteúdo de streaming da Internet é muito importante agora, mas a transmissão linear aberta ainda é bastante poderosa, tanto comercialmente quanto socialmente, como será na próxima década. Bilhões de espectadores passarão horas e horas assistindo televisão - e desfrutando de um som de qualidade realmente boa - sem nenhuma pista de que um documento técnico como as Regras de Operação da NorDig está sendo usado para manter esse conteúdo, e que um engenheiro de Nuremberg, trabalhando junto com colegas de tantos lugares e organizações, colocou esse pequeno pedaço do quebra-cabeça no lugar.

Não importa o quão bom engenheiro você seja, se você não faz a diferença no mundo. Trabalhar no coração da indústria, com ótimas pessoas para definir padrões e que beneficiam tantas pessoas, foi um sonho realizado. Quero agradecer especialmente a Peter Mølstedt e Per Tullstedt por dirigir o grupo de Regras de Operações e o grupo Técnico à frente da NorDig.

Links:
NorDig-Rules-of-Operation-ver.-3.1.1.pdf

Voltar

Outras novidades